quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Madô querida,

já não durmo mais, já não como mais
sinto ter deixado a maior razão da minha vida em Paris.
Sonho com o dia em que te encontrarei,
num dia de cor alaranjado,
com aquele seu vestido azul bordado.
(aquele que você acha muito transparente)
De seu Adrien, que nunca te amou tanto.

Um comentário:

Rodrigo Paoli disse...

Amélie!!!

(engraçado. hoje disse para uma amiga que meu destino é ser Raymond Dufayel)