segunda-feira, 19 de maio de 2008

Minhas coisas estão morrendo...
a lagrima - se bastaria para si:
- Mas orquestrar os próprios ossos!

Quer dizer
existe um carnaval
existe também um carnaval
porque não viverá sempre o homem
entoando o mesmo requiém?

Minhas coisas já estão mortas
eu sei.

Quer dizer
existe um carnaval
e existirá também o meu funeral
e lá - estará também o amor já morto:
- Mas orquestrar os próprios ossos!

que se cocem os românticos!
meu violino não executará este fado.

3 comentários:

Katrina disse...

Carnaval que não tem fim

Priscilla Boscariol disse...

oi gatxinha

arthur disse...

eu me perco quando não me decido...